terça-feira, setembro 02, 2008



VIRA O DISCO… E TOCA O MESMO
Uma nova posição


Antunes Ferreira
Algum tempo – mas pouco – depois do dia da Revolução, os trabalhadores da fábrica Meu Querido Patrão, já organizados em Comissão de, reuniram-se para decidir da gestão futura da unidade. O qu’rido bósse Serapião Sarzedas, mais conhecido pelo SS, basara apenas soubera do golpe. Gato escaldado…


Pessoal. Isto é para ir prá frentex! O orador, o Pinto, ganda pintarola, era já o Sicratário- giral. Vamos entrar por novos caminhos! Um dos presentes, a medo e à sorrelfa, perguntou – a pé, ou de vuátura? Ninguém lhe ligou pevide. Reaccionários sempre houve, carago.

Antes do mais. Quem é o camarada com piores condições aqui na empresa? Temos de ser todos iguais. O mesmo sussurro: mas uns mais do que os outros… Mau, Maria. Se descobrimos o sacana, é saneado e só não é fuzilado provisoriamente porque esta merda é uma revolução sem sangue, só cravos. Passaram à frente.

Era, indiscutivelmente, o Silva porteiro. Mil paus por mês, uma cagada em três actos. Pior: treze filhos, mulher ocupadíssima, ainda com tempo para fazer umas empadas para fora. Sempre ajudava. Pois’tá visto, o Silva. Chamou-se o homem. Camarada Silva, temos novidades para ti. O pobre do cidadão logo pensou para com os seus, dele, botões, estou frito, vou pró olho da rua, só m’acontecem desgraças, é tudo prejuízo, porra! Mas, nem piou. Falazar podia agravar…

Passas a ganhar dois mil e quinhentos escudos por mês e abono de família para os filhos. E, garanto-te em nome da CT, vamos arranjar-te uma nova posição! Estás contente? Se estava. Não lhe dera uma apopelacacia, ou algo assim, porque não calhara, nem tinha dinheiro para vícios. Amigos… (e o tal filho da puta sotto voce: camaradas, é o que agora se usa… ‘Da-se o gajo!)



Amigos, posso ir comunicar este monumento à minha Mariquinhas? Podes e deves. É pra já. E o Silva, ei-lo a correr desenfreado prá Graça, Rua sei lá de quem, quinto andar sem elevador. E sem GPS. Não sentia a quilometragem, muito menos as escadas galgadas a dois e dois. Nem se lembrou da chave. E boxeou valentemente a porta. Abriu-se. Ó homem-de-deus – o que aconteceu? Morreu alguém? Foste despedido? Nada, Mariquinhas, nada! Lá na fábrica vão arranjar-me uma nova posiçãooooooooo!!!!!

Um sorriso maroto na face dela:
-Ó homem!... Tu, também, só pensas nisso…



Esta é uma estória antiga, com barbas maiores do que as do Matusalem. Com ela, adaptada, que o mesmo é dizer embrulhada em papel novo, por este desgraçado escriba sentado nas pernas cruzadas à maneira hieroglífica, se inaugura a nova secção VIRA O DISCO… E TOCA O MESMO. Sem grande originalidade, diga-se. Mas bem melhor do que se fosse VIRAR A CASACA

11 comentários:

mugabe disse...

ahahahahahahahahahhahahahaha...tá porreiro....!!

pensamentosametro disse...

Nunca lhe vai faltar assunto, o que para aí não faltam são bons exmplos de virao disco e toca o mesmo. Excelente ideia!

Bjos

Tita

GMV disse...

"Virar a casaca" é algo que não se pode fazer neste seu espaço... Magnífico o seu texto. Adoro a sua escrita, rápida, alucinante, eu diria. Estou a ler o "Morte na Picada"...sei do que falo!
Beijos

Luciano Fraga disse...

Grande mestre Ferreira, conforme afirmei em meu blog iria aparecer,
então aqui estou, com grande satisfação e adimiração,voltarei outras vezes ao seu maravilhoso espaço. Meu email- caminho_1@hotmail.com. Por aí confirmarei a compra do livro,abração.Eu também sou bem mandado, meu sr.

La Mamá disse...

Muchas gracias por su visita y sus palabras. Lamentablemente no hablo ni escribo su idioma, pero intentaré leerlo con total dedicación. Un abrazo desde Chile, Paula

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Antunes. Vim retribuir sua visita ao meu blog. Obrigada pelo comentário.

Se é história antiga embrulhada em papel novo, devo dizer que com esse papel ficou ótimo. :-)

Boa quinta para você.

Beijos mil! :-)

De Amor e de Terra disse...

Olá, bom dia!
Achei imensa graça!!!
Pode até ser de "vira o disco", mas para mim é completamente nova.
Um abraço.
Maria Mamede

Essência de amor disse...

Boa tarde, meu novo amigo.
Tenho meu sangue bem português, embora nascida no Brasil.
Meus avós paternos vieram de Clícia(não sei se é o correto) e meus avós maternos vieram de São Julião do Freixo(Provincia do minho)
Meu e-mail faduar_me@terra.com.br
Espero por mais visitas suas.
Bjão da f@ (Fátima Duarte)

ANIMAÇÕES disse...

Olá Antunes,
vi seu recadão lá no blogui do meu irmão Elcio, o VERSEIRO.
Aí resolvi vir conferir aqui.
Parabéns pelo lançamento do livro.

Abraços
Cacinho

josé disse...

Lástima no entiendo su idioma salvo pocas palabras. Me interesa su escritura aún sin conocerla, ojala se podría traducir instantáneamente el blog al entrar. Saludos amigo.

Carlos Rebola disse...

Amigo Antunes Ferreira

Mas é "nisso" mesmo que os "Silvas" de hoje continuam a pensar, também continuam hoje a ser mal compreendidos como no tempo do tal SS e do tal Pinto. A Mariquinhas tinha “car...ácter” de sobra. Desculpe estar a virar o disco.

Amigo não consigo deixar de "rebolar" estou "marcado"... O Jack Rebola do Mosquito ia muito além…

A bordo dos velhos submarinos usava-se um sabão especial que fazia espuma com a água salgada, esfregar e fazer espuma depende, talvez, do sabão...

A estória está muito bem embrulhada e faz bem ao ego porque faz rir... um bom alinhamento de caracteres no orbe terráqueo... Gostei

Um abraço
Carlos Rebola