terça-feira, agosto 21, 2007




À RODA DOS DIAS

Agosto



Maria Lúcia Garcia Marques
Agosto habita no coração dos hibiscos. Afogueado e pujante, vibrante e cavo como um tímpano reverbera no ar, acende a cal, ateia o mar, incendeia os poentes.

Agosto é um mês jucundo: arde na pele e afoga-a em águas de puro gozo. É o calor das férias, dos tempos vagos, do Sol a jorros, dos corpos expostos. Porque Agosto é um mês macho – em que a mulher se alteia e Eros se solta. Em que Eva cai deliciosamente no embuste da serpente e se crê ser tudo: o Atlas do mundo e o mais belo bicho da Criação. Em que se expõe à Conquista e à Entrega, num quadro lindo de subtil sedução como naquele poema de Cesário Verde:


[…]
Mas todo púrpura, a sair da renda
Dos teus dois seios como duas rolas
Era o supremo encanto da merenda
O ramalhete rubro das papoulas
ou jogando-se toda inteira no ardente convite dos versos de Florbela Espanca:
Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços …
Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca … o eco dos teus passos …
O teu riso de fonte … os teus abraços …
Os teus beijos … a tua mão na minha …

Se tu viesses quando, linda e louca,
.Traça as linhas dulcíssimas de um beijo
E é de seda vermelha e canta e ri
E é como um cravo ao sol a minha boca …
Quando os olhos se me cerram de desejo …
E os meus braços se estendem para ti …

ou ainda quando, mulher-Ceres, fecunda e mãe, desenhando-se como a opulenta deusa de Agosto, nuns dos mais belos versos de David Mourão Ferreira:

É quando estás de joelhos
que és toda bicho da Terra
toda fulgente de pêlos
toda brotada das trevas
toda pesada nos beiços
de um barro que nunca seca
nem no cântico dos seios
nem no soluço das pernas
toda raízes nos dedos

nas unhas toda silvestre
nos olhos toda nascente
no ventre toda floresta
em tudo toda segredo
se de joelhos me entregas
sempre que estás de joelhos
todos os frutos da Terra

Agosto é dos poetas e dos amantes. Carpe diem, a gosto!

3 comentários:

Mendonça de Freitas disse...

Gosto muito dos seus textos. Não são textos fáceis. Mas, fazendo-nos pensar, embalam-nos na leitura encantada da sua admirável capacidade literária e poética.

Eduarda de Colares disse...

Maria Lúcia
Não sei o que mais me agrada nos seus textos - se a qualidade literária, se a atmosfera poética que os envolve, se a temática que aborda a propósito de cada um dos meses do ano, se a escolha dos autores que transcreve.

José António Lima, Faro disse...

Sou um seu admirador convicto. Amo a nossa língua e por isso gosto tanto do que escreve. Penso que podia colaborar semanalmente. Se calhar, não tem tempo. Mas gostaria que tivesse e nos desse todas as semanas um bocadinho de si, numa escrita primorosa.
O Dr. Antunes Ferreira fez muitíssimo bem em ir buscá-la para colaboradora deste blogue com o qual me identifico. Já não passo sem ele...