sexta-feira, agosto 24, 2007

RI-TE, RITA

Portugueses torturam crianças no Iraque
O António Fonseca sempre foi – e é, e será – um tipo discreto. Porreiríssimo, mas soft. Desde o Camões até à Faculdade de Direito – nunca nos abandonámos. E até na tropa andámos juntos. Campeoníssimo de… vejam lá, xadrez, os olhos a luzirem-lhe por trás das dioptrias de que sempre abusou, é um Amigão. Do peito, podem crer. Destinatário de milhentos mails que lhe envio com uma regularidade criminosa e sem atenuantes, ele raras vezes me mimoseia com coisas, mesmo que de ricochete. Agora, aqui está uma delas. Não hesito e meto-a neste blogue. A GêNêRê e o FêCêPê são motivo para uma boa piada. Mais um membro de um gang que se vai alargando, o que só me dá alegria – e espero que aos visitantes também. Continua, Fonseca! Antunes Ferreira

3 comentários:

Manuel G. Faria, Ponta Delgada disse...

Acho que se trata de uma piada de muito mau gosto. Eu sou Açoreano, mas sou PORTISTA! O que o Sr. Fonseca e o Sr. Ferreira têm é dor de corno e de cotovelo. O Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa chegou, chega e chegará para tal gente.

Raul disse...

Sr Faria, portista de Ponta Delgada ... aprenda a rir ... faz bem à saude.

Rui M. Moreira, Afurada disse...

O sr. Raul devia era estar calado. Amanhã é que se vai ver quem é o torturado. Vá chatear outro, sr. Raul