sexta-feira, fevereiro 16, 2007




Jardim e os tomates

Antunes Ferreira
O inefável Alberto João Jardim está – como costuma estar – ao ataque! Franco atirador, não se pode dizer que seja um sniper. Falta-lhe habilidade, subtileza e pontaria para tal, ele que dispara a peito aberto. Como bom zulu que se preza de ser, vê-lo apontar ao alvo com arco e flechas grandes seria normalíssimo.

Desta feita e a propósito do referendo sobre a IVG, Alberto João diz que os portugueses do Contenente não têm testículos. Podia ter dito tomates ou mesmo…, a sua língua desbragada é capaz de tudo. Parece, no entanto, que falou apenas em falta de testículos. Para quê? Para dizer que o resultado do referendo à interrupção voluntária da gravidez (IVG) não é vinculativo. Ele sim, ele tem-nos e no lugar. Se não o acentuou, pensou-o. Logo, prometeu levar a sua posição – contra a aplicação da futura lei na Madeira – até ao Tribunal Constitucional.

Antes, ou seja, em declarações aos jornalistas depois de ter votado no referendo, no Funchal, afirmara que "se o Estado legislar a favor disso [do sim], vai ter que dar dinheiro à Madeira, nós não estamos preparados, nós não temos dinheiro porque fomos roubados. Quem nos tirou dinheiro vai ter de pagar".

Ora bem. Entre a população capada e a massa que lhe falta por ter sido «roubado», sem especificar porquê, o homem continua a virar-se contra o poder central e a dar as cambalhotas necessárias para que o crime, o seu crime, compense. Entre ameaças e chantagens, ele continua imparável. Até já fala em eleições antecipadas para a Região. Não me restam dúvidas: os pobres de espírito julgam normalmente que conquistam o reino… da asneira.

3 comentários:

H. Martins Carvalho disse...

Antunes Ferreira
Por favor não nos fale mais desse cafre! Em nome de muitos e muitos portugueses, desde já lho agradeço. Ignore-o.

João M. Camacho, Funchal disse...

Vocês, cubanos, o que têm é dor de corno! Capados! E medunfa de ele ganhar outra vez as eleições. Nós vivemos cá muito bem. Não precisamos de vocês, seus maricas!

A Mas São Verdes, Montijo disse...

A senhora que o pariu! Será que esse monte de bosta nunca mais se calará? Ou terão de o calar? O Sócrates ou o Teixeira dos Santos são homens para tal.