sexta-feira, julho 18, 2008



O quelima de trásosmontes
é munto montanhoso

E
u axo q os alunos n devem d xumbar qd n vam á escola. Pq o aluno tb tem
direitos e se n vai á escola latrá os seus motivos pq isto tb é perciso ver q
á razões qd um aluno não vai á escola. primeiros a peçoa n se sente motivada
pq axa q a escola e a iducação estam uma beca sobre alurizadas.


Valáver, o q é q intereça a um bacano se o quelima de trásosmontes é munto
montanhoso? ou se a ecuação é exdruxula ou alcalina? ou cuantas estrofes tem um cuadrado? ou se um angulo é paleolitico ou espongiforme? Hã?

E ópois os setores ainda xutam preguntas parvas tipo cuantos cantos tem 'os lesiades', q é um livro xato e q n foi escrevido c/ palavras normais mas q no aspequeto é como outro qq e só pode ter 4 cantos comós outros, daaaah.

Ás veses o pipol ainda tenta tar cos abanos em on, mas os bitaites dos profes até dam gomitos e a malta re-sentesse, outro dia um arrotou q os jovens n tem abitos de leitura e q a malta n sabemos ler nem escrever e a sorte do gimbras foi q ele h-xoce bué da rapido e só o 'garra de lin-chao' é q conceguiu assertar lhe com um sapato. Atão agora aviamos de ler tudo qt é livro desde o Camóes até á idade média e por aí fora, qués ver???

O pipol tem é q aprender cenas q intressam como na minha escola q á um curço de otelaria e a malta aprendemos a faser lã pereias e ovos mois e piças de xicolate q são assim tipo as pecialidades da rejião e ópois pudemos ganhar um gravetame do camandro. Ah poizé. tarei a inzajerar?

Este é um texto muito especial que reflecte bem o que hoje em dia os estudantes são capazes de escrever (???). Poderá ter algum exagero, mas quem mo mandou, garante que não. Erros ortográficos - nem vale a pena contá-los. Expressões e abreviações do msn são permanentes e constantes. E isto, num jovem de 14 anos, no 9.º ano do ensino obrigatório, que tem doze. Não me admira. Numa das Universidades onde dei aulas, mais precisamente num curso de pós graduação, uma aluna deu, no primeiro parágrafo do trabalho que lhe cometera – 11 erros de ortografia. Que, para o caso, era mis hortugraphya.
Quando lhe disse que já nem sequer tinha lido o resto da «obra tia» dela, por mor dos erros, respondeu-me: «Sôtor, não se preocupe. Eu até vou para a Televisão…» Donde, as calinadas mis soezes que se ouvem e vêem nos ecrans da nossa praça. Como nas rádios. É fartar, vilanagem! Querem mais ou chega?
A.F.

7 comentários:

Gabriella Santos disse...

Olá.
Encontrei seu blog através do blog do amigo Profeta.
Achei bastante interessante em especial esta postagem.
Os estudantes de língua portuguesa têm as mesmas dificuldades tanto em Portugal quanto no Brasil.
Ao ler que você deseja o contato entre Brasil e Portugal pus um link do seu blog no meu, seria uma honra para mim que você pudesse me linkar.
Um abraço de quem mora no interior do nordeste brasileiro.

Rufino Fino Filho disse...

É, o Acordo Ortográfico é tão necessário com a chuva numa tarde de Agosto, na praia. Confesso que me custa ler - para já não dizer, escrever - algumas palavras com a nova grafia proposta. Páro de respirar e tocam as campaínhas que o meu velho mestre da escola primária tanto fez para afinar. Até já tenho saudades da PHarmácia e do Hontem.
Um abraço

Anne M. Moor disse...

Este 'problema' está a camuflar outro bem mais sério. Cheguei aqui pelo Prozac que foste visitar.
Também sou professora - hoje aposentada - e tenho duas grandes paixões: ler e escrever. E é aqui que reside o escalábrio com a língua. As crianças e jovens permanecem na escola por um mínimo de 11 anos a 'estudar' português. Ortografia, regras, etc., ou que torna a aula sumamente chata. Mas poucos professores ensinam (se é que se ensina) aos alunos a ler e muito menos lhes dão oportunidade de escrever!!!!!!!!!!!
Gostei do blog, voltarei e lhe espero lá no meu, além de no Prozac Café. :-)
Abraços do Brasil

maria disse...

Olá,
vim agradecer e retribuir a visita que fez ao meu humilde cantinho (nem lhe chamo blog, de tão pobresinho que é...)

Amei este post, não acho que a escrita do miudo esteja exagerada, afinal é assim que a maioria escreve hoje em dia e quando têm uma Ministra da Educação que diz que os erros ortográficos não são contabilizados nas provas que eles fazem ao longo do ano, "tásse bem".

Gostei do seu blog, parabéns :)

Vou voltar.

Beijinhooos ou queijinhooos,
maria

Laura disse...

Olá, por ler isto, eu só tenho a 4ª classe antiga..onde muito se aprendeu e fiz toda a escola já surda, fiquei surda com seis anos e tive de aprender a ler nos lábios...falo correctamente, e sei ter uma conversa o que já não sucede com muito boa gente e ...pasmem, formados...
Essa do aluno escrever assim nem é nada, a melhor vi eu aqui em Braga no bilhete que uma professora jovem mandou para a mãe de um menino de 7 anos...por ele ter faltado e não justificou a falta e até esteve doente, mas, a senhora no papel onde escreveu umas 3 linhas tinha nada mais nada menos que 6 erros muito bem feitos...
A mãe foi falar com a directora e mostrou a carta que recebeu...a directora ainda a desculpou pois ela (apenas veio substituir uma professora que foi te rum bebé! e esta hein?)
Ah, nos dias de hoje tudo dá erros, quase tudo e de que maneira...Eu posso dar na pontuaçao, faz sempre falta o ouvido para levar a coisa a cem por cento, mas...
Beijinho da laura..

WOLKENGEDANKEN disse...

Este texto circula por internet. Eu pessoalmente nao vejo muita graca. E a "glorificacao" da ignorancia e do "no-future". Bom, mas como sou professora, talvez nao saiba apreciar este tipo de "humor" :-)

Paula Raposo disse...

Chega!!! Erros ortográficos é uma das coisas que mais me irrita! Apetece-me começar à chapada!