domingo, julho 20, 2008


Estória Chinesa
Os dois vasos

Uma velha senhora chinesa possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara que ela levava ao ombro para ir buscar água ao rio. Um dos vasos era rachado e o outro era perfeito.
Este último estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada do rio até casa, enquanto o rachado chegava meio vazio. Durante muito tempo a coisa foi andando assim, com a senhora a chegar a casa somente com um vaso e meio de água.

Naturalmente o vaso perfeito era muito orgulhoso de si e dos resultados que alcançava, enquanto que o pobre vaso rachado se envergonhava do seu defeito, isto é, de só conseguir fazer metade daquilo que deveria fazer. Depois de vários anos, reflectindo sobre o que considerava a própria amarga derrota por ser rachado, o vaso falou com a senhora durante o caminho: «Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho faz-me perder metade da água durante o caminho até à sua casa...»
A velhinha sorriu: «Reparaste que lindas flores há somente do teu lado do caminho? Eu sempre soube do teu defeito e portanto plantei sementes de flores na beira da estrada do teu lado. E todos os dias, enquanto a gente voltava, tu regava-las. Assim, durante estes anos pude colher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa. Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa. Cada um de nós tem o seu próprio defeito. Mas é o defeito que cada um de nós tem, que faz com que a nossa convivência seja interessante e gratificante.»

É preciso aceitar cada um pelo que é... E descobrir o que há de bom nele.

(Enviado por imeile pelo Pedro Jorge Veloso Amaro de Oliveira, Amigão há mais de meio século. Espero que a próxima colaboração seja escrita mesmo por ti, Pedroca. Que venha, para tomar parte no PONTO DE ENCONTRO.)

16 comentários:

Osvaldo disse...

Caro amigo Antunes Ferreira;
Como todos os provérbios chineses, este é mais um desses provérbios inteligentes. Claro que faz pensar, só que mesmo na própria cultura chinesa, nem tudo é perfeito e mesmo o imperfeito tem todos os seus problemas para se impor... como em todos os lados.
Mas a verdade é que a imperfeição chinesa deu um artigo mais que perfeito...
Um abraço.
Ps.- Deixei resposta no post anterior que achei uma excelente ideia.

Cristina Martins disse...

Adorei este provérbio chinês e a mensagem que transmite.
Faço minhas as palavras do meu tio Osvaldo.
Cumprimentos

Pascoalita disse...

Muito bonita pequena estória.

Muito êxito na sua nova vida de escritor! A data, 15 de abril, vai dar-lhe sorte ... é o dia de aniversário do meu filhote mais velho ahahah

Posso fazer-lhe uma pergunta: Enquanto exerceu a actividade profissional conheceu o Sr Carlos Tibério? Trabalhava no DN, creio que em publicidade e perdi-lhe o rasto há vários anos.

Voltarei

Adrianna disse...

Cada um tem o seu valor e todos temos defeitos e virtudes.
Gostei desta narrativa :)

Antunes Ferreira disse...

Pascoalita

Conheci os Tibérios Pai e filho ferpeitamente, digo, perfeitamente. Gente boa. O Pai era um dos bosses da Publicidade. O Filho foi para colaborador da Redacção e, depois, para jornalista. Não sei o que é feito deles. Mas posso tentar saber no DN.

Por outro lado, venho pedir-te o teu telemóvel (celular) para poder contactar-te mais facilmente, a fim de implementar e desenvolver o projecto que tenho para o meu www.travessadoferreira.blogspot.com e que, como já sabem, é conferir ao meu/vosso/NOSSO blogue a característica de PONTO DE ENCONTRO entre os nossos dois Países fraternalmente ligados. No que estou, pela minha parte, a desenvolver todas as diligências que, naturalmente, me forem possíveis.
E, naturalmente também, para poder enviar-te «coisas» que ache interessantes. Se, porém, não as quiseres, diz-me eu paro logo. Sou muito bem-mandado (a minha mulher que o diga…) e muito obediente (cf. parênteses anterior).
Já solicitei a colaboração da Embaixada de Portugal em Brasília, que tem à frente dela um diplomata fora de série, o meu querido Amigo, Dr. Francisco Seixas da Costa e na qual se integram mis dois bons Amigos de longos nos: o Adriano Jordão e o Carlos Fino. Seixas da Costa criou um blogue magnífico Embaixada de Portugal no Brasil, www.embaixada-portugal-brasil.blogspot.com, que vos recomendo vivamente visitar. Tem tudo sobre as relações entre as duas Nações. Espero fazer o mesmo com a do Brasil em Lisboa.
Este é um desejo que já ultrapassa a simples intenção. Ambiciosamente, neste momento já possui muitos comparticipantes – como desejo que seja o teu caso. Mas, com o empenhamento, a ajuda, o entusiasmo e a alegria que tenho encontrado – iremos longe. A internet (apesar dos aspectos negativos que ainda apresenta) tem uma força incomensurável e desenvolvimento tecnológico que se actualiza dia a dia.
Abrações e queijinhos, convenientemente repartidos e distribuídos

PS – Quando navegarmos em velocidade de cruzeiro, quero alargar o Travessa aos outros PALOP. Que achas?

E NÃO TE ESQUEÇAS:
VENHA O IMEILE!!!!!!!!!!!!!


E,se possível mais coordenadas como as que eu tenho no meu imeile. Obrigado

Antunes Ferreira disse...

Osvaldo & sobrinha Cristina
Os chineses (que andam por todo o lado, só aqui ao pé de minha casa, no Lumiar, há sete lojas chinesas, quatro restaurantes - chineses e um armazem de abastecimentos chinês), por cá são mais dados ao comércio e prestação de serviços. Filosofia e cultura, nem sei se q.b.

Mas que a estória é interessante, lá isso é. Tem corrido pela net e há vários blogues que a inseriram. Mas, achei-lhe tanta piada - que não resisti a publicá-la...

DOM OSVALDO:
Venho pedir-te o teu IMEILE e, se quiseres, o teu telemóvel (celular) para poder contactar-te mais facilmente, a fim de implementar e desenvolver o projecto que tenho para o meu www.travessadoferreira.blogspot.com e que, como já sabem, é conferir ao meu/vosso/NOSSO blogue a característica de PONTO DE ENCONTRO entre os nossos dois Países fraternalmente ligados. No que estou, pela minha parte, a desenvolver todas as diligências que, naturalmente, me forem possíveis.
E, naturalmente também, para poder enviar-te «coisas» que ache interessantes. Se, porém, não as quiseres, diz-me eu paro logo. Sou muito bem-mandado (a minha mulher que o diga…) e muito obediente (cf. parênteses anterior).
Já solicitei a colaboração da Embaixada de Portugal em Brasília, que tem à frente dela um diplomata fora de série, o meu querido Amigo, Dr. Francisco Seixas da Costa e na qual se integram mis dois bons Amigos de longos nos: o Adriano Jordão e o Carlos Fino. Seixas da Costa criou um blogue magnífico Embaixada de Portugal no Brasil, www.embaixada-portugal-brasil.blogspot.com, que vos recomendo vivamente visitar. Tem tudo sobre as relações entre as duas Nações. Espero fazer o mesmo com a do Brasil em Lisboa.
Este é um desejo que já ultrapassa a simples intenção. Ambiciosamente, neste momento já possui muitos comparticipantes – como desejo que seja o teu caso. Mas, com o empenhamento, a ajuda, o entusiasmo e a alegria que tenho encontrado – iremos longe. A internet (apesar dos aspectos negativos que ainda apresenta) tem uma força incomensurável e desenvolvimento tecnológico que se actualiza dia a dia.
Abrações e queijinhos, convenientemente repartidos e distribuídos

PS – Quando navegarmos em velocidade de cruzeiro, quero alargar o Travessa aos outros PALOP. Que achas?

ferreihenrique@gmail.com

Antunes Ferreira disse...

Adrianna

Obrigado. Volta todos os dias... A mesma «receita», com um queijinho.
MANDA-ME O TEU IMEILE!!!!!!!!!!!!!!

Cris disse...

Engraçado... recebi este texto por mail e fiquei deliciada. Agora "trambolhei" aqui, nem sei bem como e dei comigo a tropeçar no mesmo texto q me deixou a pensar em como pequenos pormenores, que temos por hábito apelidar de defeitos, podem ser verdadeiras preciosidades!

Obrigada pela escolha,
beijinho

P.S. Se n se importa, vou levar o seu link às costas e colocá-lo lá no meu cantinho para da próxima vez poder entrar aqui de mansinho e não ao tropeção :)

JADY ALVES disse...

Sábia resposta, o espelho nos mostra apenas o que queremos ver.A preocupação em sermos mais belos não nos deixa ver outras belezas a nossa volta, por isso nos privamos do que é belo e nos entristecemos por não perceber que o belo deve ser tatuado na alma que é eterna.Desejo pra ti uma linda semana!Abraços e carinhos

Cadinho RoCo disse...

Importante e sempre oportuna lição de vida.
Cadinho RoCo

Naraiana Costa disse...

Foi um prazer para mim receber sua visita em meu blog. Obrigada pelos elogios, fiquei lisongeada, sou uma mera amadora por enquanto. Entro em contato pelo e-mail.
Abraço forte,
Naraiana.

Alice Matos disse...

Entrei sem pedir licença e encontrei este espaço cheio de interesse...

A estória é linda e plena de sentido...

Até breve...

Senhora Loirinha Má disse...

Caríssimo sr. Antunes, essas parábolas são sempre muito bonitas. Gostei do texto e do blog. Gostaria de saber como ler o Morte na Picada. Muito obrigada, volte sempre no Partículas do Pessoal e, se quiser, será um prazer recebê n'O Divã!

Divinius disse...

Sempre bom ler algo que faz sentir,
que faz ver...
Fui por ali»»»»»»»»»»»»»»»»»»»
Ou por ali««««««««««««««««««««
Ou será que não fui,
e continuo nas palavras aqui?...
Abraço e boa semana:)

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Oi, Ferreira!
Adoro contos orientais, pois sempre nos deixam uma reflexão. Esse faz-nos respeitar as diferenças.
BRASIL E PORTUGAL, a história de duas grandes nações entrelaçadas!

Mel disse...

Amigo Ferreira, esse é um dos mais lindos textos que já li, muito obrigada por partilhá-lo.

Um abraço