terça-feira, julho 22, 2008


O julgamento da velhinha

Juiz: Qual sua idade?
Velhinha: Tenho 86 anos.
Juiz: A senhora pode nos dizer com suas próprias palavras o que lhe aconteceu no dia 1º de abril do ano passado ???
Velhinha: Claro, doutor. Eu estava sentada no balanço de minha varanda, num fim-de-tarde suave de verão, quando um jovem sorrateiramente senta-se ao meu lado.
Juiz: Você o conhecia?
Velhinha: Não, mas ele foi muito amigável...
Juiz: O que aconteceu depois?
Velhinha: Depois de um bate-papo gostoso, ele começou a acariciar minha coxa.
Juiz: A senhora o deteve?
Velhinha: Não.
Juiz: Porque não?
Velhinha: Foi agradável. Ninguém nunca mais havia feito isto comigo desde que meu Ariovaldo faleceu, há 30 anos.
Juiz: O que aconteceu depois?
Velhinha: Acredito que pelo fato de não tê-lo detido, ele começou a acariciar meus seios.
Juiz: A senhora o deteve então?
Velhinha: Mas claro que não, doutor...
Juiz: Por que não?
Velhinha: Porque, Meritíssimo, ele me fez sentir viva e excitada. Não me sentia assim há anos!
Juiz: O que aconteceu depois?

Velhinha: Ora Sr. Juiz, o que poderia uma mulher de verdade, ardendo em chamas, já de noitinha, diante de um jovem ávido por amor? Estávamos à sós, e abrindo as pernas suavemente, disse-lhe: Me possua, rapaz!
Juiz: E ele a possuiu?
Velhinha: Não. Ele gritou: 1º de abriiiiiiiiiiiiiiiiillllllll! Foi aí que eu dei um tiro no filho da puta!!!

Esta estória deliciosa foi-me mandada pelo meu cunhado Raul Palhau, que reside em Chateauguay, junto de Montreal. Mas, que continua a ser de espírito e de comportamento, na esmagadora maioria das vezes, Portuga. Ela é de origem brasileira e por isso mantenho a grafia e os termos utilizados. Um destes dias, temos aí o estrambólico Acordo e então é que vão ser elas. Desfrutem. A.F.

32 comentários:

O Sibarita disse...

Ai meu Deus do céu! kkkk

Que veinha é essa? Valhei-me Senhor do Bonfim! kkkkkkkkkkkkkk

Se a moda pega, sei não, viu? Essa veinha é de lenhar! kkk

abraços,
O Sibarita

greentea disse...

espero ainda estar viva e de boa saude aos 86 anos e com o meu cara-metade por perto para não ter de chegar aos extremos da história que me fez sorrir com gosto logo pela manhã.!

Sempre tenho dito que a net é uma arma - tal como a canção de outros tempos: A net permite este s encontros de 3º grau , impossiveis noutras formas de comunicação. Fiquei lisonjeada com a tua visita e os comentários que teceste ao meu blog.
A escrita sempre foi uma delicia para mim e desde cedo enviava "coisas" para publicar nos jornais. Colaborei no suplemento juvenil do Diário de Lisboa e noutras revistas da época, ainda era uma miúda e depois abrandei um pouco essa actividade porque tive de me dedicar a outras vidas, noutras áreas. Tenho tb um livro escrito, na gaveta...
Não percebi bem a dimensão do teu projecto, mas tens o meu mail e o meu blog e vamos falando, se necessário trocaremos telelés.
Não vi ainda o teu livro mas estes últimos meses foram de tanto trabalho que não tenho parado muito nas livrarias, mas vou ver já que Joaquim Furtado te apadrinhou e a Reportagem que fez sobre a Guerra Colonial é excelente. Não fui à guerra mas aqui em casa Há quem fosse e tem ainda reflexos disso.
Um abraço

greentea disse...

quanto ao espectáculo do Cohen, tb o aguentei de pé todo o tempo como a tua cunhada e fiquei toda partida no outro dia . Só achei que ele merecia que estivéssemos sentados para o ouvir ainda melhor!!

Antunes Ferreira disse...

Dom Sibarita de Menezes (ás Vezes)y Mendonça da Onça
Pára de rir, safado! Velhinhas como essas saem em rifa carérrima. Tem dias.

Quanto ao Senhor do Bonfim, assim, assim. Penso que deve estar muito ccupado, donde - não é práqui chamado...

Muito obrigado pelos dados enviados. Gente: ponham os olhos neste Amigão que é cumpridor e nunca diz não!

Porra! Isto hoje é só rimalhar...

Abração

Antunes Ferreira disse...

Minha querida Cházinha Verde

Para lá chegares ainda te faltam 68,7 aninhos. Livra! Quase que ia arredondando os anos e era uma ganda cena (língua netoar).

Gostas de escrever? Bué da fixe! (ver anotação acima). Vai em frente e deixa-te de letras nas gavetas (mau, tou a abusar das rimas). Que tretas!

Quanto ao me(a) «Morte na Picada»: nada, nada! COMPRA! Lê! Impinge-o à tua malta. Norma 97B (cf postagem sobre o búquio).

Finalmente: ainda que o ameaces - NÃO TENHO O TEU IMEILE/IMILIO!!!!!
Manda! JÁ!!!!!!!!!!!!!!

Queijinho (com a permissão, creio, do teu caro-metado)

Alice Matos disse...

Já conhecia a estória, mas é, sem dúvida, deliciosa... Bom desfecho... adorei...

Bjs...

C.Justino disse...

Ô Ferreirão, fantástica a piada...
Um tiro só na cara do Filho da P..., foi muito pouco, pela sacanagem que ele cometeu com a pobre viúvinha, num atraso danado,que acreditava que estava recebendo um presente espiritual do seu Ariovaldo, e o canalha vem com piadinha de 1o. de abril...
C.Justino da Silveira

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

hahahahaha


É mesmo gira a história!!!!!!


Ai a velhota safada!!!
:D


beijinhos

Antunes Ferreira disse...

Alicinha
Gostei. Simples e directa. Gostei mesmo.
Compra o me(a)u livro. Cumpre a Norma 97B
MANDA TEU IMEILE!!!!!!!!!!!!!!!!!
Queijinho

Antunes Ferreira disse...

Mister Justino

Pobre velinha, com h. Trata mas é de comprar o me(a)u livreco pela net. Já. E ponto.
Abração

Antunes Ferreira disse...

Élou Mister Jones
Atenxion plize. Iu séde olde uman rogue! Uel dône. Mai inclixe is véri béde.
Du note forguéte: oul de femili maste bai mai buque. Téle ior pérentes.
Litle xizes

Jose Martins disse...

Sentado na minha (mesa) companheira (de um reformado) de todos os dias, onde me sento pelas sete da matina até à uma e tal do outro dia. A televisão à minha frente onde está a passar o "Verão Total", junto à praia de Espinho. Gente feliz contente na praia. Tenho, horas e horas o computador Sony Vaio ligado. Não sei como este "desgraçado" tem aguentado tanta martelada nas teclas, desde há dois anos, que o adquiri.Até não sei o que seria de mim, do menino Henriquinho também, se as novas tecnologias não tivesse inventado o PC para se passar o tempo. Se vivesse em Portugal, certamente, que iria sentar-me nos bancos dos jardins e conversar com outros velhos, iguais a mim, com uma reforma de m.....da. Aqui, embora, haja um parque nas traseiras de minha casa, não há por lá velhos "portugas" para dois dedos de conversa. Só sentado à minha mesa, lembrei-me de clicar no icone da travessadoferreira e verifico que continua de vento em popa e porreirinho como o proprietário bloguista. Há tempos o menino Henriquinho queixava-se que não comentavam no seu blogo e com surpresa verifico que na peça da Velhinha há lá mais do que muitos. Tomara eu! Que no meu fosse havendo umas esmolinhas de uns comentários que animassem o pobresinho deste blogista,calinador e prosador.Fique por aí bem o menino Henriquinho que eu por aqui em Banguecoque vou sendo um pobre e feliz contente.
Abraço

Antunes Ferreira disse...

Cuidado sôr Minto Martins

Notícias de Vocência são cada vez mais raras. Só tem olhos para as tailandesas - o que só lhe fica bem. Olhar não é pecado.

Deixe-se lá de frioleiras e avinçe!!!!!!! As garotas não fogem - algumas... - mas, há tempo para tudo.

Fico à espera de novas novas. Deitado, tal o maior Buda de Binguequoque.

Bichodeconta disse...

Cheguei aqui através do espaço do João, gostei do que encontri..Será que o senhor ainda trabalhou com o Zé Saramago?Ou foi exctamente a pessoa que lhe sucedeu ?O livro tentarei encontrar.. Deixo um abraço no desejo de um final de semana bem pasado..
Como nota deixo:Que tenho uma filha de 25 anos, A Raquel, e sei o importancia que esse nome pode ter na forte personalidade das pessoa a quem foi dado esse nome.

Dois Rios disse...

Olá, Antunes,

Obrigadíssima pela ternura das suas palavras com relação ao meu blog, e também pelas informações e links lá deixados. Vou ler com a calma que o assunto requer e depois volto a lhe falar, ok?
----
Quanto a piada da velhinha, eu já conhecia mas mesmo assim ri tudo novamente, rss...

Beijo,

Espaço do João disse...

Meu caro Antunes Ferreira.
Fui um leitor incondicional do Diário de Notícias, hoje só o compro ao sábado. Por todos os locais onde a minha vida profissional passou, graças aos anúncios publicados nesse prestigioso Jornal. Felizmente foram muitos e, nunca ocupei um lugar na minha profissão pelo braço de padrinhos. Olha que não foram poucos e,em diversas paragens do mundo. Estou a tratar-te por tu e, espero que faças o mesmo visto termos a mesma idade. Nunca te consideres nem velho nem idoso. Considera-te sempre usado, pois tens ainda muito para ensinar e também para aprender. Eu estive em várias províncias ultramarinas, mas sempre fugi ao cumprimento militar como combatente. Frequentei a Ecola Prática de Infantaria no C.O.M. em Mafra mas como não queria ir para o ultramar, adoeci na semana de juramento de bandeira, tendo ido parar ao H.M.E. Como perdi a recruta, fui parar à Escola Prática de Engenharia em Tancos e, então tirei o curso de radiot. de engª. como Furriel miliciano. Custou-me esta brincadeira 4 anos e 9 meses de tropa. Passei à disponibilidade como 2º sargento miliciano de engª mas, não fiz guerra. Mudemos de assunto.
Agradecido pelo elogio do meu espaço e, claro, vou colocá-lo nos meus preferidos. O tempo será o melhor para trocar-mos algumas impressões que quem sabe ainda tiveram alguma colisão.
Eu tenho um casal de filhos, sendo a filha a mais velha (administração pública ) e o filho pouco mais novo, formado em ciências da comunicação social e jornalismo. Tem o mestrado nas duas formaturas. É quadro numa estação de T.V. privada. Se reparaste no meu espaço, também estou reformado mas, tenho todo o tempo ocupado, ora com as jardinagens, ora com as abelhas e, muito tempo com avenças em manutenção eléctrica industrial.Conheci duas grandes barragens hidroelécticas a saber:- Cahora Bassa e Foz do Iguaçú. Passei pela junta de electificação de Angola e pela célebre barragem de Cambambe. Trabalhei na construção naval, o que me deu opurtunidade de conhecer muito mundo."Outras terras Outras Gentes" (Henrique Galvão). Vou terminar. Um grande abraço e regressa sempre que entenderes, pois farei o mesmo.

Savonarola disse...

Monte da Caparica, Portugal

Caro Antunes Ferreira,

Venho agradecer o prazer e honra que me deu ao visitar-me no meu humilde cantinho blogosférico, que designo por O Anarquista. Fiquei com a impressão, errónea certamente, de que terá pensado que sou de nacionalidade brasileira. Confesso que, embora não me desgostasse de todo (pelo sabor tropical de que a minha alma ficaria imbuída), sou nado e criado neste mesmo cantinho à beira-mar plantado que partilhamos, a que chamamos Portugal. Um país muito descaído do alto pedestal em que se tomava, ou alguns queriam acreditar que assim era...
Quero felicitá-lo pela sua carreira literária, que tenciono conhecer o mais brevemente possível. A literatura portuguesa sempre foi muito rica e certamente mais será com o seu contributo.
Partilho consigo a mesma ideia de uma fraternidade entre Portugal e o Brasil, que deve ser aprofundada nos tempos que correm, em que a globalização neoliberal de origem anglo-saxónica tudo devora e destrói. Será muito importante construir a tão badalada "Aldeia Global", mas feita de várias aldeias, individualizadas, senhoras do seu destino e da sua cultura.
Terei o maior prazer em trocar consigo ideias via "emaile" [direitos reservados], pelo que aqui lho indico:
oanarca@gmail.com
Convido-o também a visitar o meu site Contracorrente, localizado em www.contracorrente.info, onde poderá conhecer outra vertente da minha actividade na Internet.

Um abraço deste seu compatriota

paula barros disse...

Vim conhecer o seu blog. Agradecer sua visita. Voltarei. E sinta-se a vontade para voltar mais vezes.
Vejo que o amigo Sibarita já esteve por aqui, muito bom mesmo.
abraços

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Mister não!! Miss!!

;)

Paula Raposo disse...

Está o máximo!!! Adorei. Beijos.

Santhiago Ramirez disse...

Fazia tempo que eu não ria tanto.
Amplexos efusivos a você.
Peesse: seu livro virá ao Brasil, senão por iniciativa dos que desejássemos conhecê-lo, então importássemos?

Jotabê disse...

De Virgílio Ferreira e da nossa língua, e como não sou escritor, apesar de gostar de ser, cito, “Escrever é ter a companhia do outro de nós que escreve”, precisamente por não o ser, mas por gostar de companhia.

Fiquei extremamente agradado pela sua visita ao meu humilde estabelecimento, as palavras e o tom amigável com que o definiu, apesar de as achar exageradas, o meu blog não é assim tão bom e não está assim tão bem escrito, talvez seja a ironia que amiúde é por mim utilizada, a razão que mascara e desvia a atenção da falta de rigor linguístico que impera, fosse eu presunçoso o suficiente diria, aproveitando os seus elogios, que a minha escrita está avançada no tempo, ali para os lados de uma terceira ou quarta geração dum acordo ortográfico, [altura em que já toda a gente diz e escreve as parvoíces todas que bem entende, e ainda é elogiado por isso, (risos)]

Da sua actividade profissional, e do local onde trabalhou ressaltam-me dois comentários:

O primeiro, a honra que é ter alguém como você, ao nível dum Eça de Queirós, ou dum José Saramago, também eles colaboradores do Diário de Notícias, a falar de mim e para mim. É algo que para mim ainda está no âmbito do incompreensível, e não é minimalismo meu, é mesmo só e tão só incompreensão.

O segundo, a recordação de, acerca de uma pesquisa que fiz na sede, na av. da liberdade, de notícias acerca do 25 de Abril de 74, ter sido muito bem recebido, porventura ainda lá o meu amigo trabalhava. Não associo a sua cara a ninguém que lá tenha conhecido, (infelizmente), também não me recordo com quem falei. Já lá vão uns anitos.

O tema do seu livro é-me particularmente chegado, na altura em que o meu amigo participava como oficial miliciano, eu, também lá estava, como familiar de militar. Tenho aliás, acerca desse período um livro de Lobo Antuns, as “Cartas da Guerra”, na calha para ler, se me permite colocarei o seu em lista de espera, (não por qualquer tipo de preferência, só porque o de Lobo Antunes já cá está em casa).

Estávamos na antiga Lourenço Marques, mais propriamente nos arredores, na Machava, era um gaiato que via a guerra ao longe, apesar de lá estar dentro, recordo sons, paladares e cheiros intensos, imagens soberbas, e chateia-me não recordar emoções, emoções que talvez procure, nos relatos dos outros, nos livros. Já fiz um post acerca disto,
http://jmsbona.blogspot.com/2006/11/memrias-de-frica.html

sou impelido para ele, para o tema, oiço dizer que Africa enfeitiça e torna dependentes quem a ‘experimenta’, talvez seja isso.

Esse intercâmbio Portugal/Brasil de que fala deixa-me ‘arrebitado’, bem, na verdade deixa-me é invejoso, em especial o aparte “(que conheço bastante bem)”, pois também eu gostaria de conhecer, aliás, é um local, à semelhança de Africa, que parece de vez em quando me chamar, baixinho, em apelos, enfim. Terei o maior prazer em colaborar nesse ponto de encontro, assim como na sua divulgação, a par do seu blog.

Se bem que, e o meu amigo veja o número de comentários que tenho nos meus posts, não sei se serei grande ajuda

Bem, e já agora que aqui estou só me falta comentar o post.

É tramada a velhice, e o défice que provoca a todos os níveis. Faz-me lembrar também uma expressão brasileira que adoro: “matar cães a grito”
a velhinha estava definitivamente a matar cães a grito, resultado daquele jejum sexual de 30 anos.

E como isto já vai longo, facto pelo qual peço as minhas desculpas, despeço-me com um abraço

A seu tempo darei pelo seu blog uma visita mais prolongada e atenta.

:)

Antunes Ferreira disse...

Bichodeconta
Viva quem é uma flor!
A dois tempos:
1) Entrei no DN quando o Saramago saiu. É um grandíssimo escritor, o Nobel o atesta, mas de feitio é mau. É omnisciente, é o detentor único da verdade, é antipático, é arrogante. Conheço-o pessoalmente e posso dizer esta opinião - que é a minha.
2) O me(a)u livreco: COMPRA-O JÀAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!
E IMPINGE-O aos que passam . Não é um pedido: é uma ordem!!!!!!!!!!
Queijinho
O TEU IMEILE IMEDIATAMENTE! Não esqueças

Antunes Ferreira disse...

Bichodeconta
Viva quem é uma flor!
A dois tempos:
1) Entrei no DN quando o Saramago saiu. É um grandíssimo escritor, o Nobel o atesta, mas de feitio é mau. É omnisciente, é o detentor único da verdade, é antipático, é arrogante. Conheço-o pessoalmente e posso dizer esta opinião - que é a minha.
2) O me(a)u livreco: COMPRA-O JÀAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!
E IMPINGE-O aos que passam . Não é um pedido: é uma ordem!!!!!!!!!!
Queijinho
O TEU IMEILE IMEDIATAMENTE! Não esqueças

Antunes Ferreira disse...

Dois rios ou dois olhos lindos? Prefiro os olhos!
Vossa Insolência estraga-me com mimos. Grazie tanta
Queijinho

E O TEU IMEILE??????????????????
CONTINUO À ESPERA, sua desavergonhada...

Antunes Ferreira disse...

Olá caro João

Pelos vistos temos muito para falar. Tens msn? Talvez ajudasse. Eu tenho com webcam e tudo.

Aqui, respondo telegraficamente, de contrário isto seria pior do que a torre de Babel. Para já é apenas a de Papel.

MANDA-ME O TEU IMEILE, «velho» camarada desenfiado. Podemos escrever-nos e avançar em coisas diversas no PONTO DE ENCONTRO.
Também vou andar por aí... Terá sido o Flopes que...???
Logo, voltarei ao teu canteiro.
Abração

Antunes Ferreira disse...

Sôr Savonarola
Deixemo-nos de Inquisições. Estamos tão bem sem autos-de-fé...
Estou envergonhado com o que me atribuis e só a tua bondade e gentileza me levam a aceitar esses louros imerecidos. Aliás, de louros gosto; mas dos temperos.

No restante, vamos continuar. Porque não mandas uma pequena colaboração para o Travessa? Imeila-o e é tiro e queda, desde que não mandes ninguém levar no etc. do fim das costas.

E MANDA-ME O TEU IMEILE, POÇARAS!!!!!!!!!!!!!!!
Abração

Antunes Ferreira disse...

Paulinha
Cá fico à tua espera; espero... que não te percas e voltes logo. Confirmas que gostaste.

ESTOU FARTINHO: MANDA A MERDA DO TEU IMILIO!!!!!
Queijinho

Antunes Ferreira disse...

Ó missia
Esculpa, memo, patricia. Eu lhi vou deixar os meu rependimento. Jura memo! E os sacristas dos Mirandas/Jones? Que dizem??? Mudos e quedos que nem o penedo do Gerez.
Qjs

Antunes Ferreira disse...

Raposinha(o)
Kittös!!!! Na Finlândia dizem assim. E quanto ao me(a)u livro? Com tanta balda nunca mais chego à estação.
Qjs

Antunes Ferreira disse...

Santhiago (aos mouros!!!)
Rir move muito menos músculos faciais do que pôr trombas. Há estudos e percentagens. Por isso é mais fácil e mais agradável.

Livro - só pela internet como digo no blogue. Vai, meu irmão: nem é muito carote. E que fosse....
Abração

Antunes Ferreira disse...

Preclaro jotabê

Não precisas acrescentar mais nada. Isto porque me roubaste as palavras que pretendia remeter-te. Fujo para a minha lura e de lá não saio até que me passe o rubor. E eu katé sou do Sporting...

De tudo o que me dizes fico de cara à banda com a comparação a um Eça ou a um Saramago. Quem sou eu, para merecer tal tratamento? Tenho de começar uma autopsicoanálise para ver se me passa este despautério que me enfiaste, salvo seja...

Bom, avinça no «Morte na Picada» tão depressa quanto possível. O Lobo que também é Antunes, veste, às vezes a pele do cordeiro. Arruma-o muito bem arrumadinho, põe-no na lista de espera e chca aute o me(a)u

Abração
E QUANTO AO TEU IMILIO????
O meu é
ferreihenrique@gmail.com