quinta-feira, dezembro 14, 2006



NATALADAS

Os dois textos que aqui publico (um acime e outro de seguida) serão publicados no Suplemento Natalício, de 21 deste mês, do «Notícias de Viseu», o semanário com maior audiência e divulgação no distrito de Viseu. Resumindo: o mais importante daquela zona. Foram-me pedidos pela correspondente deste blog, a Cláudia Pereira, que dirige os serviços comerciais do jornal. Quase me arriscaria a dizer a virtual correspondente, já que a jovem nunca mais veio a estas páginas. Espero que se emende.

Ora bem, dado que alguns Amigos & correlativos, SARL me pediam para que fosse publicando ao longo da quadra uns papeis alusivos, e porque as maleitas que me apoquentaram ainda não estão completamente vencidas, mas para lá caminham, pedi à ilustre publicitária que me fosse autorizada a publicação antecipada das estorinhas. A preguiça também contou. Em comparação com o «Notícias de Viseu» este blog é igual a zero vírgula um. E então se compararmos os que ainda deitam os olhos pelo Travessa e os leitores viseenses - ni hablar como dicen nuestros vecinos ibericos.

Na volta do correio electrónico veio um nihil obstat - imprimatur simpático e permissivo, assinado pela Cláudia. (NB - Passados os coscorões e o espumante, terá de vir também um texto com regularidade. É uma ordem). Espero que aguentem as linhas. E que se iluminem. Para apagado - estou eu. A.F.



As Festas do Senhor

Antunes Ferreira
Tempo complicado, o das Festas. As prendas estão pelas horas da morte, donde o recurso à loja do Senhor Ping Fei, ex-camarada, quase ao lado do Restaurante Flor de Lótus, do Senhor Wang Deng, ex-camarada. Essas expressões pretensamente igualitárias quedaram-se na RPC. Aqui, camarada já foi.

Os agentes de distribuição domiciliária da CMD, a correspondência mais diversa, a que na longa e escura noite chamávamos carteiros, já voltaram a apresentar, por cartão, as Boas Festas a V. Ex.ª e à sua Excelentíssima Família (não vá o diabo tecê-las). O complemento ao subsídio de Natal é implícito e inevitável. Tenho de pensar numa coisa destas, já agora mensal.

O plástico dos pinheiros está estandardizado por alíneas correspondentes à categoria arbórea. Registada em banda, dá logo o preço nas caixas registadoras. Juntem-se as bolas coloridas, ainda que inquebráveis, as gambiarras de luzinhas, e o spray da neve artificial e – Senhor Ping Fei.

Até o presépio de resina sintética o antigo camarada tem. E nem que os motivos religiosos sejam ponderosos e legítimos, há que encarar a questão de frente, ir às palhinhas e pegar a vaquinha do Menino pelos cornos: Ping Fei.

Quanto a perus, estamos conversados. Nada. Antes um pato do Restaurante Flor de Lótus, do Senhor Wang Deng que já foi camarada. Anote-se que o estabelecimento já foi vistoriado pelas brigadas competentes e nada encontrado que pudesse ser desabonatório. Pois seja pato. De preferência à Pequim. Em Cantão, dizem que não, em Xenin dizem que sim e em Pequim dizem que – nim.

É bom recordar que na montra do Flor de Lótus está colado a fita transparente, chinesa, um anúncio: Plessizasse cuzinheilo xinez. Çalálio minino nassional, ólálio: oito dias pol çemana, 18 holas e picos. Justamente após a acção fiscalizadora. Coincidência, comenta quem sabe. E logo com a Natividade aqui tão perto.

O Natal já não é a festa da família; é a festa do Senhor Ping Fei, ex-camarada.

4 comentários:

Nela Fernandes, 25 anos, solteira, Corroios disse...

Avante! Escreva mais! Mande muitos! Natais assim são raros. Adoro o que escreve e começo a adorá-lo, a SIIIII

Jacinto X, Alverca disse...

Estamos perante um caso grave de xenofobia contra um cidadão chinês. A Declaração Universal dos Direitos do Homem - que julgo Portugal acata - proibe todo o tipo de descriminações. Por isso A.F. deixe-se de parvoeiras. E Boas Festas

Hernâni Mendonça, Almeirim disse...

Como leitor atento do travessadoferreira venho apresentar três reclamações/sugestões:
1) O Dr. Antunes Ferreira, de quem sou um ferrenho admirador, não pode ser tão espaçado nos seus textos, tem de voltar ao que antes fazia, isto é um artigo por dia ou mais.
Deve também escrever de novo e mais sobre a guerra ultramarina, ou colonial, ou o que lhe quiserem chamar. A ficção tem um importante lugar neste tema em particular.

2) Tem de continuar com a sua política de correspondentes e colaboradores. Se alguns se cansarem, outros têm de vir, outros virão. Desta forma o blog tem identidade e características próprias.

3) Os comentadores que já eram habituais e muito me enchiam as medidas deixaram de fazer comments. Onde estão o joliva, a anónima ana, o herculano, o josé martins, e outros. Pelos vistos só o rô rô do Canadá se aguenta. Voltem, seus malandros, voltem que serão perdoados.

E pronto, fico-me, pedindo desculpa de roubar tempo e espaço. Parece que, para alem da preguicite aguda, o dr. Ferreira tem andado adoentado. Desejo-lhe as melhoras e um pronto restabelecimento.

Aproveito para lhe desejar e a todos os que têm colaborado consigo um Santo Natal e um Ano Novo melhor do que este velho trôpego que está a acabar. Muito obrigado.

joliva_santos disse...

Caro Hernâni Mendonça,
O joliva está aqui (e recomenda-se!).
Festas felizes (para todos), e, (como dizia o outro) façam-me o favor de serem felizes!
E, para o Chefe, (obviamente), um abraço bem apertado. À saúde, Homem!

JS