sexta-feira, julho 07, 2006





Perspectiva económica melhora


A «tragédia económica portuguesa» avoluma-se com o andar do tempo. Está visto que tal se verifica nas cabeças e nas afirmações dos sabichões, dos especialistas, dos derrotistas, dos falsos profetas, enfim dos que não querem ver que algo está a mudar, ainda que, tal como aqui tenho vindo a escrever, com passinhos curtos. Que, porem, levam a avanço paulatino. Devagar se vai ao longe? Também aqui se deseja que não seja a passo de caracol, muito menos de caranguejo.

Já por diversas vezes tenho abordado a questão e, de acordo com o que me chega, diversas entidades que se presumem insuspeitas têm referido que os indicadores económicos vão melhorando. E o que é mais interessante: a constância desses números e percentagens positivas, numa escala gradativa que melhora mês após mês.

Tome-se novo exemplo. Antes do mais, tenho de fazer umas perguntas: será que a Organização para o Comércio e Desenvolvimento Económico, OCDE, está feita com o Governo Sócrates? Será que os socialistas estão a pagar somas chorudas à Organização para que esta emita informações falsamente favoráveis par o nosso País (e para eles próprios)? Será que, a ser deste modo, a OCDE se arrisca a perder a importância e o prestígio que tem?

Estas questões decorrem de uma nova informação produzida por esta Entidade sediada em Paris. De novo agradável para Portugal. De acordo com os supracitados «sabões» se alguma coisa cresce entre nós, são as dívidas. E as dúvidas, acrescentam, existem, principalmente sobre quem emite notícias, opiniões, comentários e/ou pareceres referentes à economia lusa - com sinal positivo. Já aqui o tenho dito e redito: há um conluio a nosso favor de diversas pessoas e organizações, com exclusão da FIFA, está claro.

O indicador avançado da OCDE para Portugal voltou a subir em Maio, pelo décimo mês consecutivo. Em Abril, o índice português já havia atingido a maior pontuação em cinco anos. O indicador, que mede o comportamento da economia e a perspectiva de crescimento, chegou a 100,1 pontos, 1,3 ponto a mais que no mês anterior - maior que o aumento de Abril em relação a Março, de 0,7 ponto. Segundo os dados divulgados pela OCDE, o nível é o mais alto desde Março de 2001.

A taxa de variação a seis meses - que identifica pontos de mudança do ciclo económico com uma antecedência de nove meses - também continuou a melhorar para 6,9% em Maio, o que representa um acréscimo de 2,2% em relação a Abril, indicando desta maneira, o crescimento da actividade económica em Portugal.

E a finalizar, a Organização informa que o aumento do indicador para Portugal ficou acima da média do conjunto dos seus 30 países-membros, que melhorou pelo décimo terceiro mês consecutivo: 0,1 ponto percentual, para 109,9 pontos.
A.F.

3 comentários:

José Manuel Fernandes, Negrais disse...

Este Senhor Antunes Ferreira é mais papista que o Papa. Para ele o Governo socialista só faz coisas bem feitas. O que é uma anedota.
O Primeiro Ministro e a sua equipa bem podiam pôr os olhos na Selecção Nacional e nos exemplos que nos deu e está a dar.
A OCDE diz que nós estamos a melhorar? Podem dizer o que quiserem, mas quem aperta o cinto somos nós. Não duvido da OCDE, mas se calhar não tenho razão. Já tenho muitas dúvidas dos jornais, rádios e televisões que dizem apenas aquilo que lhes convem.

Mauricio Silveira, Évora disse...

Há pessoas que escrevem nos blogues pelo simples prazer de assinarem as calinadas que dão. E os ignorantes não são os piores. Os que se julgam os melhores e que sabem tudo são os piores.

Eu não percebo muito de economia. Mas entendo as coisas quando vou a um restaurante a uma segunda feira, como ontem, e o vejo cheio de pessoal a comer belos carangueijos, santolas, sapateiras, percebes, ameijoas e burriés.

Então pergunto por onde é que anda a crise? Há muito dinheiro, só não se sabe onde e quem o tem. Concordo consigo, sr. Antunes Ferreira. O governo tem é de fazer com que haja mais trabalho e menos mariscadas.

Maria Júlia Costa, Cascais disse...

Ó sr. Antunes Ferreira

Diga ao sr. José Fernandes que se enganou na data. O 25 de Abril já foi em 1974 e ele nem deu por isso. De Fernandes destes está um homem farto. Eu também estou