terça-feira, abril 24, 2007




DESTINO MÚSICA


Nat “King” Cole

Tapman
Satisfazendo pedidos para o Nat Cole latino, deixo uma selecção que espero que corresponda ao desejado. Para tanto, o link a usar é

http://www.mediafire.com/?az2dqyhodqd

Mas este Senhor merece mais. Assim, para quem quiser mais 20 faixas em inglês, basta ir buscá-las aqui:

http://rapidshare.com/files/18505338/NatKingCole-ANTOC.part1.rar.html
http://rapidshare.com/files/18505711/NatKingCole-ANTOC.part2.rar.html

Playlist das latinas


01 Perfidia
02 Yo vendo unos ojos negros
03 Acercate mas
04 Solamente una vez
05 Adelita
06 Aquelles ojos verdes
07 Ay cosita linda
08 Cachito
09 Capullito de Aleli
10 El bodeguero
11 Maria Elena
12 Nadie me ama
13 Piel canela
14 Noche de ronda
15 Quizas, quizas, quizas
16 Te quiero, dijiste
17 Não tenho lágrimas
18 Tres palabras
19 Vaya com Dios
20 Ansiedad




Um homem tem de saber
«Si Adelita se fuera con outro, la seguiría por tierra y por mar; si por mar en un buque de guerra; si por tierra en tren militar», canta nas espirais do vinil o «Rei» Cole, enquanto o pessoal se esforça por acompanhar o ritmo, mas também por se roçar q.b. pelas jovens participantes no bailarico. Na medida do possível, que é pouquíssimo, na imaginação mais do que no físico, mas neste último há quem se safe bem. E sai o comentário calino: roça, roça, que o Jean Jacques também Rousseau.

Começo a cansar com estas voltas ao passado, sobretudo para quem ainda tem coragem e pachorra para ler estas linhas – e não é do mesmíssimo passado. Há até, penso, quem fique passado perante um tal passado. A malta do bué de fixe se por acaso se detém, ainda que milimetricamente, nestas desconchavadas viagens, já estou a vê-la a comentar «ganda cena, os kotas são tramados» ou coisa pior.

Por isso, a partir de agora economizarei nas letras, nos espaços e nas consequentes batidas. Um homem tem de saber limitar-se. Se assim não o conseguir, ainda o acusarão de ter andado na Independente. O que, no mínimo é arrepiante, para não dizer mesmo pornográfico. O Tapman que se desengome. Eu passo.
A.F.

4 comentários:

Luis M. Marques, Viseu disse...

Muito obrigado. O Sr. Tapman (quem será, um Superhomem TAP? Nome real?) é um bom companheiro. Mal se pede, é já.

Vivá Múzika disse...

Faço minhas as palavras de agradecimento do Sr. Luis M. Marques, de Viseu, terra do bom Dão. Agradeço-lhe, misterioso Tapman. E que dizer de portuguesas? Admiro o Camané, a Mísia e, sobretudo, a Marisa. Gosto do fado, portanto.

Anónima Salina disse...

Obrigada, sr. Tapman.
Quer dizer-nos a sua idade? Tenho cá uma curiosidade... É entradote com nome de "chavalo", ou um um puto com gosto requintado?!
De qualquer forma e mais uma vez, obrigada pelo King em espanhol!
AS

A grande Barreto, Lisboa disse...

Muito bem, Tapman. Não quero saber quem é você realmente e... tenho raiva a quem sabe, excepto, claro, o nosso Antunes Ferreira. Só lhe estou agradecido por esta magnífica ideia.

Gostava, também, de que você falasse e oferecesse algo sobre música portuguesa dos anos sessenta. A idade já pesa. Vozes como as de Maria Clara, Maria de Lurdes Resende, a «Feia Bonita», Madalena Iglésias, Simone, Maria de Fátima Bravo devem ter lugar na sua lista. Por isso, quando puder...